NOTÍCIAS

PREFEITURA INCENTIVA O COMÉRCIO COM IMPLANTAÇÃO DA “FEIRINHA DE ARTESANATO NA PRAÇA”

PREFEITURA IMPLANTA O 'ARTESANATO NA PRAÇA

De acordo com o IBGE o município de São José de Mipibu apresenta uma população de 43.995 habitantes. Boa parte dessa gente criativa e trabalhadora dedica-se a bordar, costurar e esculpir, refletindo a cultura de seu povo por meio de diversos produtos de arte que são passados de geração em geração.

Visando dimensionar essa arte popular, a Prefeitura Municipal de São José de Mipibu, por meio da Secretaria Municipal de Cultura realizou na noite desta quinta-feira(09), a primeira exposição da “Feirinha de Artesanato na Praça”, evento que tem como objetivo a divulgação e comercialização de produtos artesanais criados por artesãos mipibuenses.

O evento que passa a comercializar produtos artesanais na praça Monsenhor Paiva, toda quinta-feira, também conta com apresentações artísticas de voz e violão, colocando em vitrine talentos musicais do município. Com a venda de suas peças para as pessoas do lugar e visitantes da região, os artesãos movimentam a economia local, geram emprego e renda não só para a família do artista, como também para toda a comunidade. Apesar da importância cultural o Município passa a ter mais uma identidade econômica, que é o artesanato. Os detalhes reproduzidos nas peças artesanais encanta visitantes na Feirinha de Artesanato na Praça, valorizando ainda mais os produtos comercializados pelos artesãos do centro da cidade e das comunidades rurais de São José de Mipibu.

São José de Mipibu é um município no estado do Rio Grande do Norte, distante 30 km de Natal. Mipibu é uma palavra de origem Tupi que significa surgir subitamente. Em 1630 existia um aldeamento no território, cujo nome era Mopebu, o maior, mais populoso e o principal entre as seis aldeias da Capitania do Rio Grande do Norte. Os primeiros habitantes da região foram índios Tupis, que se localizaram nas proximidades do rio Mipibu, que recebeu esse nome por surgir de repente na famosa Fonte da Bica e percorrer por quatro quilômetros, até desaguar no rio Trairi. Esse legado cultural torna mais rico e autêntico o trabalho desenvolvido pelos artesãos mipibuenses.