NOTÍCIAS

Nota de Esclarecimento

O município de São José de Mipibu vem se dirigir ao público em geral, em virtude de matéria veiculada na imprensa relativa ao fechamento do Pronto Atendimento adulto do Hospital Regional Monsenhor Antônio Barros.

Inicialmente é preciso esclarecer que aquela Unidade de Saúde é da competência única e exclusiva do Governo do Estado e da Secretaria Estadual de Saúde, cabendoao município exercer parceria visando à melhoria daquela unidade, como fora exercido na gestão do ex- governador Garibaldi Filho e da professora Wilma de Faria, quando fora estabelecido uma Coogestão entre os entes governamentais, ou seja, existia legalmente um compromisso.

O Município administra os Postos de Saúde, o Centro de Referência, o CAPS, o CEO - Centro de Especialidades Odontológicas, que funcionam na sua plenitude e possuem enorme aceitação dos usuários e da população, além de estabelecermos parcerias com a APAMI para atendimento de cirurgias eletivas, com a Liga do Câncer e diversas clínicas particulares.

Nossa atenção básica tem recebido uma atenção especial, onde rapidamente citamos:

- Colocamos 100% real das equipes do PSF;
- Reformamos com recursos próprios todos os Postos de Saúde;
- Estamos equipando todos os Postos;
- Priorizamos o CEO;
- Adquirimos e estamos concluindo as aquisições de diversos veículos novos;
- Concluímos a Unidade Básica de Saúde da COHAB e estamos concluindo os projetos de outras 03 (três) UBS;
- Centro de Referência será dotado de equipamentos modernos de Imagens.

Durante o inicio desta atual administração municipal encontramos por parte do Estado um processo avançado de esvaziamento do Hospital Regional, de tal forma, que as decisões são tomadas de forma arbitrária e abruptamente, sem qualquer discussão ou mesmo diálogo com a sociedade.

Neste contexto relembremos que desde a retirada dos médicos e quase fechamento da APAMI que a SESAP/RN começou este processo de descaso com nossa região, sendo que esse lamentável fato está se repetindo em Canguaretama, mostrando a intenção deliberada da Secretaria do Estado de fechar definitivamente o Pronto Socorro do HRMB e outros.

É importante ressaltar que as cidades circunvizinhas como Nísia Floresta, Senador Georgino Avelino e outras cidades que não possuem esse serviço usam os serviços de Pronto Atendimento desta cidade, sem partilhar qualquer recurso para a Saúde de nosso município, exceto Goianinha, que executa o serviço e recebe do Ministério da Saúde R$ 90.000,00 (noventa mil reais) mês, enquanto que São José de Mipibu gasta mais de R$ 1.080.000,00 (hum milhão e oitenta mil reais) por ano com aquela unidade.

Outrossim, o Município não se furta de cooperar com o momento atual e externou por diversas vezes a possibilidade de celebrar referida parceria, sendo que, até a deflagração da intervenção ética promovida pelo Conselho Regional de Medicina, nunca a SESAP enviou qualquer minuta de parceria, nem efetivou as reformas necessárias para a melhoria da qualidade do atendimento.

Como forma de minimizar o impasse elaboramos uma minuta de Cooperação Técnica entre os entes governamentais e submetemos no dia 21/02/2014 à SESAP/RN, bem como enviamos correio eletrônico e esperamos que seja analisado com a máxima brevidade, para que após a assinatura do termo, procedermos o Processo Seletivo para contratar médicos temporários e a partir da solução encontrada vamos sentar com os outros municípios para estabelecermos responsabilidades, deveres e direitos de todos.

Também ressaltamos nossa indignação, pois no dia 19 deste mês a SESAP promoveu o chamamento de diversos profissionais concursados, sendo que para nossa surpresa nenhum profissional foi lotado para esta unidade, comprovando o interesse do gestor Estadual de fechar o Pronto Atendimento, que acreditamos ser interesse deliberado, porquanto que os integrantes do CREME-RN quando estiveram procedendo a referida ação, receberam a resposta da direção do Hospital, que a SESAP/RN já queria fazer isso desde meados de 2013.

Com esses breves esclarecimentos, esperamos aclarar para todos cidadãos que essa gestão enfrenta todos os problemas colocados a nossa prova, com a certeza que estamos trabalhando com afinco para solucionar esse e quaisquer outras dificuldades que por ventura apareçam, pois entendemos que “GOVERNAR È ADMINISTRAR PROBLEMAS”, sendo o diferencial entre uma gestão de outra, o compromisso em resolver os impasses e dar resolutividade, pois os mesmos sempre apareceram e não iremos esconder por debaixo de tapetes, pois estamos trabalhando sem demagogia para melhorar a nossa saúde pública, para podermos ofertar uma melhor qualidade de vida na nossa cidade e para o nosso Povo.